13 de abr de 2009

Rimações.

Olhares ‘disbaratinados’ do são lesado.
São pesares pesados recém chegados na vida dum coitado.
Coitado! Quem vê pensa, isso é culpa do tapa que prensa.
Dos chegados e dos camaradas.
Dos noiados e das prensadas.
Na verdade é vaidade, medo da realidade.
Saudade vicia quem dorme de dia.
Isto não é poesia, é rimação e isto, eu mesmo faço.
Sou o espírito antigo que revive,
o espírito do poeta adormecido.
Libertador das idéias e dos pensamentos,
rimador de cada louco breve momento.
A rima louca, louco que rima, rimas sem medida.
A rima louca do louco que rima rimas sem medida.
Rimador das causas
sofridas,
sofridas
causas. Quem entende consente acende não prende, aprende. De repente... Segue em frente, contente.
Meu papel, meu brinquedo.
Céu segredo.

Um comentário:

Não deixe de comentar.
Jesus nos guie.

Visitantes