17 de jun de 2009

GAMA

Lembrar.


Eu declaro aqui, por meio dessa insatisfatória tentativa, satisfazer meus amados.
Mãe, pai e irmãos, onde você se encontrar no testamento, saiba e tenha certeza, é com você que estou falando, eu mesmo, Marlon Ribeiro Teixeira, vinte anos de morte e zero de vida.

Introdução ao fim.
Este documente pertence a todos os amados.
Por meio desta declaro:
Amar cada um de vocês, com cada pequeno ato de meu ser. Cada palavra foi pensando em vocês e em você. Por puro amor eu escrevi aquelas cartas todas, sabendo que nada sei a respeito de minhas obras, se são edificadas ou destruidas. Quem é que sabe o que virá depois dele? E quem é que leva as suas obras consigo no dia da morte? Ou sabe o que acontecerá depois de sua partida? Por isso eu digo, faço tudo de graça pela sua existência, porque sem ela, o que teria eu a fazer? Por ela é que escrevo.
Eu não sei quando foi que me perdi, sei que me perdi devido a vontade de me encontrar, e pra isso vou deixando de reclamar de pessoas que se acham. Também quero me achar. Você se acha?
Quantas perguntas eu te fiz e quantas respostas você encontrou?
Tudo existe, nada é inventado, nenhuma partícula sequer eu crio, nada de tangente que se possa chamar "novo".
Sabe por que a prudência ao usar o verbo? Porque escrevo aos iluminados e aos entendidos, meus irmãos, aqueles que congregam em paciência. Não me esqueceria do dia em que me negaste o pecado. Em tudo te agradeço meu DEUS, por morrer com esses.
Lembro-me dos dias em que minhas concupiscências e agonias amansaram com sua prensença, sempre forte, lembro-me também das vezes em que declaramos amor um ao outro, seja com palavras ou procedores. Você se lembra?
Quantas foram as vezes que eu agradeci a DEUS por te conhecer? Quero que saiba que não tenho rancor.
Sou imortal porque sei que mesmo que morra, continuo vivo nos seus pensamentos.
Que assim seja.

2 comentários:

Andressa E. disse...

Não, não gostei do que voce esta querendo passar. O texto ficou muito bem feito, mas não serve. NÃO SERVE.

Anônimo disse...

Parece carta de despedida,Marlon.
Ui...

Mii

Não deixe de comentar.
Jesus nos guie.

Visitantes