30 de ago de 2010

Foi então quando ele percebeu que nunca estivera só, pois sua companhia não era visível ao olho nú, também pedia coisas "absurdas" no entendimento popular da palavra, porque na verdade ele tinha sim as suas razões, caso contrário, nas as pediria.
Tenho certeza que os maiores contos e poemas foram escritos embebidos em vinho e fumaça. Só quem conhece a dor sabe do que eu estou falando, e não falo da dor material, falo da dor da alma, aquela que o remédio não alcança e o veneno não resolve. O veneno destilado não difere muito da cor do suco, só no efeito, ainda assim pode ser doce e suave, brilhante feito vinho que reluz, pra enganar aqueles que se permitem ser enganados. Eu não sou bom em criar "fim" para minhas idéias, porque assim é a vida, idéia sem fim.

Nenhum comentário:

Não deixe de comentar.
Jesus nos guie.

Visitantes