28 de out de 2010

Não seja como os hipócritas que ajudam o mendigo porque sabem que Deus olha e desejam que Deus lhê dê retorno.

Não dê porque quer ter, dê porque tem.

Não me conformarei em ver os hipócritas dizimistas que negam pão ao mendigo, dizendo que nada têm mas separando dinheiro para dar à quem tem, achando que o dizimo injusto que dão significa que Deus que é justo derramará suas bençãos sem medida sobre esses que vêm tropeçando no Caminho.
Dê pão ao mendigo que vê os "pastores e suas ovelhas" indo de terno ao dito culto e não se sente a vontade para seguí-los por estar sujo e ainda porque estes mesmos imundos torcem a face para não olhá-lo e passam de largo como se ele fosse invísivel, além disso eles pregam que "Jesus não veio para os sãos, mas para os necessitados", de fato afirmar isso engrandece o reino, mas a fé sem as obras é morta.

27 de out de 2010

Dizem por aí que o Brasil está mudando, principalmente na propaganda política dos partidos de direita. Eu sei que está, eu vejo.

Uma lata de refrigerante custava um real e o salgadinho cinquenta centavos.
O litro da gasolina era um e trinta.
O preço da passagem matinhos-curitiba era quinze reais.
As praias eram menos sujas e não havia crack.
A televisão mostrava coisas bonitas.
Não havia bolsa esmola e a quantidade de pessoas na miséria era a mesma, porque os pobres, nós sempre tivemos.
A cesta básica era mais barata e era feita de produtos livres de agrotóxicos.
A maioria das pessoas ainda não tinham celular e nem computador, ainda assim as ruas eram cheias de amigos juntos.
Primavera era primavera e verão era verão, o inverno era só frio, sem recordes.
Não existiam tantos gêneros sexuais, apenas os dois que existem, feminino e masculino, heterossexuais.

Quantos termos ainda não existiam?

Pedofilia, transsexual, metrossexual, bullying, diversidade sexual, eco-sustentabilidade, sustentabilidade, neo-capitalismo, demôniocracia, capetalismo, refinanciamento, brainstorm, hoax, spam, agnosticismo.

Transformaram o gozo em sexo, o extâse em droga, a graça em sátira, a verdade em mentira.

Eu gozo muito com extâse, graça de Deus.

20 de out de 2010

John Fitzgerald Kennedy



Testemunha2

Pela boca de duas testemunhas Jesus foi condenado. Pela boca de duas testemunhas satanás será também.

E não o achavam; apesar de se apresentarem muitas testemunhas falsas, não o achavam. Mas, por fim chegaram duas testemunhas falsas, Mateus 26:60

E darei poder às minhas duas testemunhas, e profetizarão por mil duzentos e sessenta dias, vestidas de saco. Apocalipse 11:3
Dilma vence, é afastada, Tamer assume, só Deus sabe.
O Amazonas não é nosso, é do mundo e o mundo é dos aristocratas.

O filme Avatar na realidade faz alusão aos amazonenses, e às amazonas. Que vivem em cima da riqueza infinda. Pra ver como o branco é burro e inferior.
Os Sambaquis são orientais porque vieram da China na época em que os continentes eram unidos e diz a lenda por lá e por aqui que isso foi obra de Deus para os livrar de seus perseguidores. Como quando Ele abriu o mar, mas dessa vez separou a terra em continentes, não tente me provar com teorias darwinistas que isto não aconteceu assim, eu mesmo já vi que o fator natureza e fator homem nada são se comparado ao fator Deus.
Pode se dar a luz em 7 a 9 meses de acordo com a relação entre os fatores, homem-natureza, porém Deus dá filhos às virgens, às estéreis e às de avançada idade.

São doze juízes do inferno que vivem entre nós.
O princípe vai se casar, então seu país será atacado, ele irá para a batalha, deixando para trás um filho secreto e um irmão invejoso, será ferido de batalha, seu irmão dará um jeito de reinar, o filho secreto será o trunfo futuro na linhagem original do principe ferido. O principe casa em 2012, depois disso, só Deus sabe.

1.000 anos de reich.
E o Brasil? Satanás na presidência, genôcidio oculto.

"Se você agir sempre com dignidade, talvez não consiga mudar o mundo, mas será um canalha a menos".
John F. Kennedy

19 de out de 2010

E, quando ouvirdes de guerras e sedições, não vos assusteis. Porque é necessário que isto aconteça primeiro, mas o fim não será logo. Lucas 21:9
Plínio é numa confiante fé que mando este email, pedindo pelo amor de Deus que você compartilhe da sua sabedoria e rara prudência com o verbo. Tempos ainda mais dificeis se instalam, saiba que a vitória da Dilma foi minuciosamente preparada, mas não é com ela que o povo deve se alarmar, mas se manter vigiado com o patrocínio da campanha e se perceber atento à ditadura que se infiltra lentamente em leis que coibem e censuram cada vez mais o já tão oprimido. Que por milagre de Deus você, Plínio, vença esta eleição, e eu rogo a Deus que cuide dos seus passos em todo o tempo e principalmente se eleito, eles assassinaram Kennedy, eles infiltraram o comunismo e recrutaram desde artistas jovens de bandas pop à professores universitários e pastores de grandes denominações. Seu objetivo é instalar a Nova Ordem Mundial para que aquele que se denomina o inimigo de Deus venha a perverter e cegar o entendimento dos incrédulos.
Plínio você fez mais por nós do que pode hoje sonhar. Você fez.
Deus nos proteja.

Hipocrisia intencional

Há pessoas que preferem acreditar que o homem criou a si mesmo.

Enfiam ciências em nossa mente pra tentar provar a inexistência do que em tudo existe.
A ciência é o fermento dos fariseus e o desentendimento.

Há muito desentendimento na cabeça das pessoas, por isso elas tem se afastado do Pai.
Elas veem na pequena caixa de imagens aqueles que se auto intitulam "pastores" pedindo ajuda aos homens para que arrecadem dinheiro, pedindo ajuda à mamom e não à Deus, porque eles são aquilo que adoram e esses não conhecem a verdade.
Mesmos os demônios quando eram expulsos pelo Filho diziam "bem sei que és filho de Deus". Mas não ganhavam dinheiro com essa informação.

Se eles confiam em Deus tanto quando pedem às pessoas que confiem porque ainda depositam sua fé no mamom, no dinheiro.


Ninguém pode servir a dois senhores; porque ou há de odiar um e amar o outro, ou se dedicará a um e desprezará o outro. Não podeis servir a Deus e a Mamom. Mateus 6:24

Eles não leram Lucas 12, que fala que nem Salomão em toda sua riqueza se vestiu como um lírio, que nem os passáros passam fome, quanto mais nós à quem ele entregou o reino.

Ou Mateus 6 , que diz que esta igreja é a igreja da mentira e da hipocrisia?

O inimigo é terrível mas não pode nada contra nós se andarmos com Deus.
Em Mateus 6 também está a Oração ao Pai Nosso, que algumas pessoas repetem todos os dias, todos os dias, todos os dias, mas nunca leram Mateus 6: 7.

capítulo inteiro

"E, orando, não useis de vãs repetições, como os gentios, que pensam que por muito falarem serão ouvidos".


A águia.

Quando a tempestade se aproxima os passáros se escondem em seus ninhos nas árvores, mas há um que voa em direção à tormenta e voa acima dela, talvez ele entenda que além da tempestade o tempo é calmo.
O racionalismo afasta de si todo o sentimento. Faz dos homens pedra quando eles deviam chorar e dos mesmos pedra quando deviam se alegrar. O sentimento traz consigo o sabor de vida. Faz dos homens rocha quando estão fracos, faz dos mesmos rocha firme diante da tempestade.
Jesus chorou.

11 de out de 2010

Querido irmão Kajuru, que você siga com a fé de Jesus.

Veja bem, um dos mecanismos para implantação do regime fascista funciona da seguinte forma.

1 Eles criam um problema e o divulgam nas suas mídias.
2 O povo com acesso as mídias ficam sabendo do problema e comentam.
3 Eles oferecem uma solução.
4 O povo alienado na falsa resolução, aceita, dá autoridade e entrega o seu poder.

1 Eles falam por semanas sobre cigarro em todas as mídias, não como nos tempos da Brilhantina e propagandas carissímas da Marlboro, mas como se ele fosse o terrível vilão do ser humano (e não eles).
2 O povo reconhece que o cigarro é mal e comentam.
3 Eles criam sem o nosso acordo uma lei que proibe fumar cigarro em lugares fechados.
4 O povo alienado na falsa resolução, aceita, dá autoridade e entrega o seu poder.

Eles usaram esse mesmo esquema inúmeras vezes.

1 Eles explodem o WTC.
2 Terrorismo, medo, guerra.
3 Bilhões em armas, invasão americana no Oriente, camêras em todas as esquinas, guardas municipais, guardas escolares, telefones grampeados, quebra de sigilo. Guerra.
4 o povo alienado na falsa resolução, novamente.

Kajuru, meu querido, a raiva, o rancor, a ira não faz bem, porque pra trazer paz a vida das pessoas precisamos primeiro ter paz nas nossas próprias vidas.

E não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus. Romanos 12:2

Forjai espadas das vossas enxadas, e lanças das vossas foices; diga o fraco: Eu sou forte. Joel 3:10

E, quando ouvirdes de guerras e sedições, não vos assusteis. Porque é necessário que isto aconteça primeiro, mas o fim não será logo. Lucas 21:9

Nesta batalha não tereis que pelejar; postai-vos, ficai parados, e vede a salvação do SENHOR para convosco, ó Judá e Jerusalém. Não temais, nem vos assusteis; amanhã saí-lhes ao encontro, porque o SENHOR será convosco.

Fica com a santa paz do Senhor e Salvador Jesus, permaneça na fé de Jesus. Amém.

O Escrevinhador
7 de outubro de 2010 às 12:12h

Republicamos o texto da colunista Maria Rita Kehl, do Estadão, por conta do qual foi demitida nesta quinta-feira. Foto: Damião A. Francisco/ divulgação

Por Maria Rita Khel*

Este jornal teve uma atitude que considero digna: explicitou aos leitores que apoia o candidato Serra na presente eleição. Fica assim mais honesta a discussão que se faz em suas páginas. O debate eleitoral que nos conduzirá às urnas amanhã está acirrado. Eleitores se declaram exaustos e desiludidos com o vale-tudo que marcou a disputa pela Presidência da República. As campanhas, transformadas em espetáculo televisivo, não convencem mais ninguém. Apesar disso, alguma coisa importante está em jogo este ano. Parece até que temos luta de classes no Brasil: esta que muitos acreditam ter sido soterrada pelos últimos tijolos do Muro de Berlim. Na TV a briga é maquiada, mas na internet o jogo é duro.

Se o povão das chamadas classes D e E – os que vivem nos grotões perdidos do interior do Brasil – tivesse acesso à internet, talvez se revoltasse contra as inúmeras correntes de mensagens que desqualificam seus votos. O argumento já é familiar ao leitor: os votos dos pobres a favor da continuidade das políticas sociais implantadas durante oito anos de governo Lula não valem tanto quanto os nossos. Não são expressão consciente de vontade política. Teriam sido comprados ao preço do que parte da oposição chama de bolsa-esmola.

Uma dessas correntes chegou à minha caixa postal vinda de diversos destinatários. Reproduzia a denúncia feita por “uma prima” do autor, residente em Fortaleza. A denunciante, indignada com a indolência dos trabalhadores não qualificados de sua cidade, queixava-se de que ninguém mais queria ocupar a vaga de porteiro do prédio onde mora. Os candidatos naturais ao emprego preferiam viver na moleza, com o dinheiro da Bolsa-Família. Ora, essa. A que ponto chegamos. Não se fazem mais pés de chinelo como antigamente. Onde foram parar os verdadeiros humildes de quem o patronato cordial tanto gostava, capazes de trabalhar bem mais que as oito horas regulamentares por uma miséria? Sim, porque é curioso que ninguém tenha questionado o valor do salário oferecido pelo condomínio da capital cearense. A troca do emprego pela Bolsa-Família só seria vantajosa para os supostos espertalhões, preguiçosos e aproveitadores se o salário oferecido fosse inconstitucional: mais baixo do que metade do mínimo. R$ 200 é o valor máximo a que chega a soma de todos os benefícios do governo para quem tem mais de três filhos, com a condição de mantê-los na escola.

Outra denúncia indignada que corre pela internet é a de que na cidade do interior do Piauí onde vivem os parentes da empregada de algum paulistano, todos os moradores vivem do dinheiro dos programas do governo. Se for verdade, é estarrecedor imaginar do que viviam antes disso. Passava-se fome, na certa, como no assustador Garapa, filme de José Padilha. Passava-se fome todos os dias. Continuam pobres as famílias abaixo da classe C que hoje recebem a bolsa, somada ao dinheirinho de alguma aposentadoria. Só que agora comem. Alguns já conseguem até produzir e vender para outros que também começaram a comprar o que comer. O economista Paul Singer informa que, nas cidades pequenas, essa pouca entrada de dinheiro tem um efeito surpreendente sobre a economia local. A Bolsa-Família, acreditem se quiserem, proporciona as condições de consumo capazes de gerar empregos. O voto da turma da “esmolinha” é político e revela consciência de classe recém-adquirida.

O Brasil mudou nesse ponto. Mas ao contrário do que pensam os indignados da internet, mudou para melhor. Se até pouco tempo alguns empregadores costumavam contratar, por menos de um salário mínimo, pessoas sem alternativa de trabalho e sem consciência de seus direitos, hoje não é tão fácil encontrar quem aceite trabalhar nessas condições. Vale mais tentar a vida a partir da Bolsa-Família, que apesar de modesta, reduziu de 12% para 4,8% a faixa de população em estado de pobreza extrema. Será que o leitor paulistano tem ideia de quanto é preciso ser pobre, para sair dessa faixa por uma diferença de R$ 200? Quando o Estado começa a garantir alguns direitos mínimos à população, esta se politiza e passa a exigir que eles sejam cumpridos. Um amigo chamou esse efeito de “acumulação primitiva de democracia”.

Mas parece que o voto dessa gente ainda desperta o argumento de que os brasileiros, como na inesquecível observação de Pelé, não estão preparados para votar. Nem todos, é claro. Depois do segundo turno de 2006, o sociólogo Hélio Jaguaribe escreveu que os 60% de brasileiros que votaram em Lula teriam levado em conta apenas seus próprios interesses, enquanto os outros 40% de supostos eleitores instruídos pensavam nos interesses do País. Jaguaribe só não explicou como foi possível que o Brasil, dirigido pela elite instruída que se preocupava com os interesses de todos, tenha chegado ao terceiro milênio contando com 60% de sua população tão inculta a ponto de seu voto ser desqualificado como pouco republicano.

Agora que os mais pobres conseguiram levantar a cabeça acima da linha da mendicância e da dependência das relações de favor que sempre caracterizaram as políticas locais pelo interior do País, dizem que votar em causa própria não vale. Quando, pela primeira vez, os sem-cidadania conquistaram direitos mínimos que desejam preservar pela via democrática, parte dos cidadãos que se consideram classe A vem a público desqualificar a seriedade de seus votos.

*Matéria originalmente publicada no jornal O Estado de S. Paulo e reproduzida do site O Escrevinhador

3 de out de 2010

Eu vejo os pobres nos lugares santos e os ricos nos lugares imundos.

Eu vejo mendigos reinando e reis nos lugares pobres.

Plínio vence.

Em qual candidato você votou? Naquele que pagou para que jogassem folhetos pela rua? Naquele que fez aquela passeata barulhenta?
Se o candidato ganhasse por sujeira não era preciso nem apurar os votos, ou por barulho e desordem. Eu vi vários "campeões da sujeira e da desordem".

"O impossível torna-se possível se você quiser, jovem".
Plínio de Arruda Sampaio.
Não deixe de comentar.
Jesus nos guie.

Visitantes