3 de nov de 2010

Letra podre. Carne e Osso Zélia Duncan

Carne e Osso - Zélia Duncan

A alegria do pecado (Que alegria?)
Às vezes toma conta de mim (Ela está possuída?)
E é tão bom não ser divina (Ou seja, ser malvada)
Me cobrir de humanidade me fascina (Humanidade = Sem Deus)
E me aproxima do céu (Inferno eu acho)


E eu gosto
De estar na terra (Ela não quer mesmo ir pro paraíso)
Cada vez mais
Minha boca se abre e espera
O direito ainda que profano
Do mundo ser sempre mais humano (Ser cada vez mais sem Deus)


Perfeição demais
Me agita os instintos
Quem se diz muito perfeito
Na certa encontrou um jeito insosso
Pra não ser de carne e osso
Pra não ser carne e osso


Um comentário:

Anônimo disse...

Meu Deus, que música é essa que tanta gente tem coragem de cantar?
:o

Muito boa a explicação de casa verso da canção. Muitos de nós tendem a dar "crédito" as músicas de hoje em dia, apenas por ouvir a melodia, o ritmo. A verdade é que quando escutamos músicas como estas sem pensar a respeito do que ela quer dizer, apenas por modismo, também adotamos o que ela prega em nossa vida. Deixamos que isso faça parte do nosso ser, mesmo que involuntariamente seja.

Luz, paz e entendimento.

L.

Não deixe de comentar.
Jesus nos guie.

Visitantes