15 de dez de 2013

Vou escrever, mais uma vez, pela dor que sinto no peito, pra espairecer.

Sinto muito por cada minuto que perdi discutindo, ofendendo, brigando, quando poderia estar te amando.
Sinto muito por cada dia que passei sem lhe dar um beijo, sem dizer que te amava, sem te abraçar antes de você dormir.
Sinto muito por cada dia que troquei sua presença por jogos, por desenhos.
Sinto muito por ter que sentir o gosto do fim pra querer um recomeço.
Sinto muito por ter sido um peso quando deveria te carregar no colo.
Sinto muito por me preocupar com tudo e com todos quando na verdade eu só precisava "cuidar" de você.
Sinto muito se agora, só agora, fui perceber.


13 de dez de 2013

Epifania

Meu mel tornou-se fel.
Meu céu ao léu.
Meu pássaro azul era meu melhor amigo.
Agora, é minha melhor lembrança.

Antes nada tivesse acontecido
do que tudo houvesse perdido.
Agora o riso é pranto, o choro tanto
Ò, me esconde manto santo.

Nunca pareceste tão bela, morte.
Dos que partem, a sorte de uma boa fama.
Da lama ao luto, emfim, tudo.

Já não me escuta, desistiu
uma dose de cicuta, por um cetil,
Até minha sombra partiu
e foi pra nunca mais

Cadê a paz?
Meu amor é um choro sem jeito
Agulha no peito, sujeito imperfeito
Dor.

Uma poesia sem fim
Uma agonia sem fim,
Epifania, emfim.

Até quem me vê lendo o jornal. Na fila do pão, sabe que eu te perdi.

Acredito que todo poeta nasceu de um choro. Que toda poesia vive de lágrima. Que toda lágrima me lava a alma.



Eu sempre desisti de tudo na minha vida, a única coisa da qual eu não desisti, desistiu de mim.

Me ajuda Senhor.

8 de dez de 2013

6 de dez de 2013

Ó minha criança, tente segurar um pouco d'água em suas mãos e me diga se é capaz, pois saiba que eu seguro os rios com a minha mão e com a destra amarro os ventos e calo seus uivos.
Eu não te desamparei, suas lágrimas sequer chegam a tocar o chão. Até quando teimará em andar sozinho? Até quando terei de provar dia-a-dia o meu amor?
Quando te sentes derrotado, eu já te preparei a vitória, quando as condições e o aspecto das coisas se mudam te basta a fé.
Sua natureza é carne mas tu tem um espírito que a refreie. Disto tu tens o controle, tome-o. Refreie a sua carne. Há momentos em que o melhor discurso é o silêncio. O silêncio diz coisas que as palavras não sabem dizer. O silêncio faz do tolo um sábio mas a palavra mal dita faz do sábio um tolo.
Te sentes triste? Te sentes só? Tenho um livro escrito com ponta de diamante, seu nome está nele.
Só acaba pra quem desiste.

Eu nunca vou desistir de você.
Não deixe de comentar.
Jesus nos guie.

Visitantes